Polícia Civil prende quadrilha que matou e decapitou jovem em Goiânia

Seis pessoas tiveram participação no crime. “Investigações devem ajudar a solucionar outros casos”, avalia secretário Rodney Miranda

 

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), apresentou nesta terça-feira (05/02), os suspeitos do assassinato de Erivaldo Ferreira da Rocha, cuja cabeça foi encontrada na Avenida Perimetral Norte, em Goiânia. “É um crime gravíssimo. As investigações deste fato devem ajudar a solucionar, inclusive, outras ocorrências, afirmou o secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda.

O crime foi motivado por disputas ligadas ao tráfico de drogas. O homem foi morto para que seu irmão – que teria rixa com o grupo -, fosse atingido. “A vítima não tinha conhecimento das companhias do irmão”, explicou a delegada Silvana Nunes.

Os suspeitos admitiram o crime e confessaram que usaram um serrote. Para atrair a vítima ao local do crime, o grupo utilizou uma falsa proposta de emprego. “Pediram que ele capinasse um lote na casa dos autores. Lá, ele foi alvejado por dois tiros”, ressaltou a delegada.

No total, seis pessoas estão envolvidas no homicídio. Luciano Fonseca, Edson Dener e os irmãos Matheus Máximo e Maurício Máximo foram presos nesta semana. Denis Peterson já estava detido no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. O sexto autor é conhecido como “Pombo” e foi morto no dia 25 de janeiro. “A Polícia Civil agiu rapidamente para encontrar os responsáveis por esse crime que chama a atenção pela crueldade”, disse o delegado-geral da corporação, Odair José Soares.

O caso
A cabeça da vítima foi encontrada em 13 de janeiro. O corpo foi achado quatro dias depois no Rio Meia Ponte, também na capital. O crime foi motivado por disputas ligadas ao tráfico de drogas. O caso foi solucionado em apenas 22 dias.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar: