Rio Verde se une contra a criminalidade

 

Rio Verde se une contra a criminalidade (1)

Município recebe a conferência do Pacto Social Goiás Pela Vida que reuniu representantes dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil organizada. Prevenção, com investimentos em ensino de qualidade, e participação dos moradores na busca de soluções por segurança pública cidadã, marcam o tom das discussões. Iniciativa do governo é elogiada por instituições presentes ao evento

O município de Rio Verde, na região Sudoeste do Estado, recebeu nesta quarta-feira (23/11), a conferência municipal do Pacto Social Goiás Pela Vida. O encontro foi na Câmara Municipal e contou com a presença de representantes dos diversos poderes, entre eles juiz, promotores, vereadores, presidentes de entidades, secretários municipais, comandantes de unidades policiais, lideranças religiosas e comunitárias. As representações da sociedade local se unem para o combate à criminalidade.

A ação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) é uma união de esforços entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além da sociedade civil, com objetivo de coibir a criminalidade. Logo após a abertura, os participantes se reuniram em grupos de discussões temáticas para iniciarem os trabalhos.

O superintendente de Inteligência Integrada da SSPAP, Danilo Fabiano Carvalho, representou na solenidade o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton. “Discutir prevenção é a base na busca das soluções”, disse.

Danilo, que é filho de Rio Verde e já foi delegado regional na cidade por muitos anos, disse que conhece as “aflições e problemas” da região. Acrescentou que essa também é uma preocupação do secretário e da pasta, citou os avanços desenvolvidos na gestão de José Eliton e afirmou que é preciso “fazer uma união de esforços, deixar de lado as ideologias políticas e partidárias para pensar a cidade como um todo”.

A apresentação do projeto foi feita pelo superintendente do Pacto Social Goiás Pela Vida, Rogério Felix, que destacou as linhas de ações a serem desenvolvidas pelo programa em busca da redução da criminalidade por meio de ações transversais de segurança primária.

O juiz criminal e corregedor dos presídios de Rio Verde, Eduardo Álvares de Oliveira, parabenizou o Governo de Goiás pela iniciativa. “De fato, vivemos uma profunda crise de violência urbana que afeta não só Rio Verde, mas todo o país. É louvável essa iniciativa, pois o problema de segurança pública não envolve apenas instituições, precisa envolver também a sociedade civil”, disse. “O sucesso dessa empreitada é o investimento em prevenção”, analisa.

O juiz acrescentou que o Poder Judiciário está à disposição para “contribuir e fortalecer” a ação do governo. “Educação, trabalho e outras vertentes são de fundamental importância, a prevenção envolve muito mais a sociedade do que as próprias instituições”, concluiu.

A ação também foi elogiada pelo promotor do Ministério Público Estadual, João Porto Silvério, que parabenizou o secretário José Eliton por “atacar o problema da segurança de fato”. Conforme expressou, “é uma alegria ver, pela primeira vez, um governo do estado reconhecer a necessidade de investimentos na área da educação, ensino e envolvimento da população”, parabenizou.

O programa

Rio Verde é o sexto município a implantar o Pacto Social Goiás Pela Vida. Nas cidades de Águas Lindas de Goiás e Novo Gama foram inaugurados no dia 1º/11, em Trindade em 15/11. Goiânia, na região Noroeste, em 17/11, e Itumbiara em 22/11.

O programa une diferentes órgãos públicos das esferas federal, estadual e municipal em cinco eixos de atuação: prevenção social, segurança cidadã, intervenção urbana e ambiental, inteligência e estratégia e repressão qualificada.

A meta estruturante é construir um conjunto de ações de curto, médio e longos prazos que fortaleçam a redução dos fatores propiciadores de crimes, catalisando a transformação da cultura de violência para a de conciliação e pacificação.

Em Itumbiara, o vice-governador disse, em discurso, que o objetivo do pacto é incentivar a população a contribuir com formulação de políticas públicas e ajudar no combate à criminalidade.

O Comitê Executivo do Pacto Social é composto por 12 representantes tanto do governo e da sociedade. Se reúnem mensalmente e são responsáveis por acompanhar as ações pactuadas e os resultados alcançados, permitindo um mapeamento real e a adoção de soluções para reduzir índices de criminalidade no Estado.

No total, são 23 encontros e, ao final, será realizado um fórum com abrangência estadual, onde será apresentado um plano estratégico, cujas ações serão resultado das discussões nos municípios.

FOTOS: WILDES BARBOSA

Compartilhar: