Operações da Polícia Civil prendem suspeitos de homicídios em Anápolis e Entorno do DF

Foto 1

Em Anápolis, dois foram presos pela prática de homicídio,  motivado por disputa pelo tráfico de drogas. Homicídio em Luziânia chocou moradores

Operações realizadas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil, de Anápolis e Luziânia, cumpriram mandados de prisão preventiva de autores de crime de homicídios nas duas cidades.

Em Anápolis, o GIH local prendeu João Amadeu Matos de Assis, de 21 anos, e Lucas Marleido Nóbrega de Oliveira, 22. Eles são investigados pela morte a tiros de Danilo de Oliveira Camargo, ocorrida no dia 05 de maio passado, no Bairro Calixto Abrão, em Anápolis.

De acordo com o delegado Vander Coelho, responsável pelas investigações, poucos dias antes do homicídio, a dupla havia tentado matar um amigo de Danilo. Inconformado, a vítima passou a ameaçar João Amadeu e Lucas, o que pode ter gerado a motivação do crime.

Os presos foram interrogados e confessaram o crime. Eles afirmaram para a polícia que havia uma disputa pelo domínio do tráfico de drogas na região, levando à rivalidade entre os envolvidos.

Luziânia

Em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, o Grupo de Investigação de Homicídios local cumpriu dois mandados de prisão expedidos em desfavor de suspeitos de homicídios qualificados. Miqueias Meireles de Oliveira e Samuel dos Santos da Silva já estavam presos, e devem permanecer mais tempo na cadeia.

Segundo o delegado Maurício Passerini, responsável pelos casos, Miqueias é o principal suspeito pelos disparos de arma de fogo que mataram Igor Ferreira de Matos, em dezembro de 2015, no Setor Fumal, em Luziânia. O outro investigado, Samuel dos Santos, figura como partícipe do crime de homicídio qualificado, ocorrido em janeiro do corrente ano, contra a vítima Josué Morais da Silva, morto também por disparos de arma de fogo.

O delegado Maurício lembra que o crime perpetrado contra Josué chocou os familiares e moradores do bairro Luzília Parque, em Luziânia, tendo em vista que a vítima, um jovem de 15 anos, não ostentava passagens pela polícia, não possuía inimigos e fazia parte da banda da igreja. A Polícia Civil ainda realiza diligências para responsabilizar e prender outros dois envolvidos na grave infração penal.

 Créditos: Arquivos da Polícia Civil de Goiás

 

Compartilhar: