“Não faltam tornozeleiras eletrônicas em Goiás. Governo e Depen cooperam entre si”, diz titular da Administração Penitenciária

20170704163053_IMG_9387

Trabalho integrado entre Estado e Departamento Penitenciário Nacional viabilizou equipamento enquanto mecanismo fiscalizador do ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, afirma em entrevista coronel Victor Dragalzew, superintendente da Seap. Licitação em curso vai garantir mais 5 mil unidades para o sistema prisional goiano, informa ele

O superintendente executivo de Administração Penitenciária (Seap), coronel Victor Dragalzew, afirmou nesta terça-feira (04/07), durante entrevista coletiva, que não faltam tornozeleiras eletrônicas em Goiás. “Estamos atendendo todas as determinações judiciais”, disse. “O que existem são entraves de natureza técnica, uma vez que são poucas empresas que fazem esse tipo de serviço e o equipamento precisa de manutenção”, destaca.

Além disso, o superintendente disse que está em curso um novo processo de licitação para adquirir mais 5 mil novas tornozeleiras eletrônicas para o sistema prisional goiano.

Segundo ele, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) e Departamento Penitenciário Nacional (Depen) trabalham em parceria em diversas circunstâncias e, sempre que é preciso, cooperam entre si. Foi justamente neste sentido que a pasta cedeu uma tornozeleira eletrônica enquanto mecanismo fiscalizador do ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures.

Goiás foi o idealizador do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual, que operacionaliza a cooperação entre unidades da federação neste setor. A solicitação da tornozeleira para o ex-deputado foi feita pelo próprio Depen.

“Temos uma relação muito próxima ao Departamento Penitenciário Nacional. A maioria dos nossos convênios com a União passam pelo Depen”, explicou Victor Dragalzew.

“Implementamos as tornozeleiras em todo o Estado”, destaca ele. “Estamos cumprindo todas as solicitações do equipamento que chegam até nós”, afirma. Além disso, também encaminhamos a capacitação dos servidores para trabalhar com essa tecnologia”, disse.

O superintendente também explicou que a SSPAP presta serviço de monitoramento para 19 comarcas. Em outras 18, o serviço será implementado nos próximos meses. “O equipamento é delicado, exige manutenção e capacitação de pessoal. Estamos cuidando de todo esse processo”, declarou.

FOTOS: JOTA EURÍPEDES

Compartilhar: