Marconi é sensível às demandas da segurança pública, diz Balestreri sobre novo concurso para Polícia Militar

WhatsApp Image 2017 05 11 At 10.46.18

Titular da SSPAP destaca que a PM tem feito um trabalho de alta qualidade no sentido da redução dos índices de criminalidade no estado e, por isso, merece toda a atenção do governo. Com os dois certames, Goiás terá mais 4.500 policiais no efetivo da corporação

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), Ricardo Balestreri, afirmou nesta sexta-feira (11/05) que a realização de um novo concurso para a Polícia Militar com a oferta de mais 2 mil vagas, conforme anunciado pelo governador Marconi Perillo, “é fundamental para a estruturação da segurança pública do Estado de Goiás”. Segundo observa, há uma carência tradicional de efetivos, “e o governador tem sido muito solícito e sensível às demandas da pasta”. Conforme acentuou, com os dois concursos “será possível oferecer mais estrutura de capital humano para a Polícia Militar, que tem feito um trabalho de alta qualidade, no sentido do combate ao crime, de redução dos índices criminais no estado, e que, portanto, merece essa atenção, merece essa estruturação”.

A realização do novo concurso para a PM foi anunciada nas redes sociais pelo governador Marconi Perillo, após reunião na manhã de quarta-feira (10/05), com os secretários Fernando Navarrete (Fazenda), Joaquim Mesquita (Segplan), Ricardo Balestreri (SSPAP) e João Furtado (Casa Civil), em que foi avaliado o quadro financeiro do Estado e as condições para a realização do concurso, após mais de dois anos do ajuste fiscal implementado pelo governo de Goiás. Com os dois concursos para a Polícia Militar, o governo eleva em 4.500 homens o efetivo da corporação.

Para o secretário Ricardo Balestreri, num contexto nacional de dificuldade econômica, “este é um esforço absolutamente destacável, considerável e meritório do Governo do estado de Goiás, de oferecer mais 2 mil vagas para dar continuidade ao preenchimento das defasagens que temos em relação ao efetivo da PM”. Segundo afirma, o novo concurso se reverterá “em melhor qualidade da segurança pública para a população goiana, com uma presença mais intensa da Polícia Militar no dia a dia nas ruas e em uma possibilidade de atender melhor as demandas do conjunto dos municípios goianos”.

De acordo com o secretário Balestreri, o aumento de efetivo da Polícia Militar dará uma possibilidade de estruturação ainda maior para a corporação, para que possa continuar produzindo os bons índices que vem tradicionalmente construindo. Segundo o anúncio feito pelo governo de Goiás, o novo concurso terá seu edital lançado em setembro, após a seleção final dos candidatos do certame iniciado no ano passado e programada para o próximo mês de agosto. A Segplan vai licitar em breve a empresa que realizará o novo concurso.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, a decisão do governador Marconi Perillo em realizar mais um concurso para a corporação “significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública”. De acordo com o comandante, “o aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”. Declarou que, a partir de agora, a PM poderá atender de forma mais eficiente as demandas não só em Goiânia, mas, principalmente, nos municípios do interior do Estado.

“Vamos cuidar para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”, afirmou coronel Divino Alves. Acentuou que, ao ser convocado, o policial aprovado em concurso público passa um longo período em formação. “Só a partir do quinto mês de formação é que nós autorizamos o estágio operacional”, destacou. De acordo com ele, um esforço nesse sentido já está sendo feito em Santa Helena de Goiás. “A formação não será mais concentrada na capital ou nas grandes cidades”, ressaltou.

Além dos concursos para provimento de vagas na Polícia Militar, o governo, por meio da Segplan, realiza concursos para 280 cargos de agentes de Polícia Civil substituto, 220 cargos de escrivão de Polícia Civil substituto e 250 de soldado de 3ª classe do Corpo de Bombeiros Militar. Estão sendo selecionados, também, 36 delegados de Polícia Civil, 80 oficiais da Polícia Militar e outros 30 fiscais da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon).

Os concursos públicos são parte da política de Segurança Pública implementada pelo governo, que tem como foco a valorização e o fortalecimento das forças policiais do estado. Além dos certames, o governo autorizou, no ano passado, a promoção de 3.939 oficiais e praças da Polícia Militar, 1.020 policiais da Polícia Civil, 90 oficiais e 164 praças do Corpo de Bombeiros Militar. O governo tem atuado fortemente também na defesa dos direitos dos policiais e investido em equipamentos, armas e munições, a fim de suprir todas as demandas das corporações para a prestação de serviços de segurança de qualidade.

Entre os 3.500 aprovados na prova escrita do último concurso para a segurança pública estão 2.500 policiais militares (2.420 soldados e 80 oficiais). Neste momento, eles passam pela fase de avaliação médica e de entrega de documentos sobre a vida pregressa, com prazo até 21 de junho. Em 23 de julho será realizado o teste psicotécnico, com previsão do resultado final no dia 17 de agosto.

Compartilhar: