Hicsos II: Operação desarticula grupo especializado em roubo de cargas

Hicsos1
Segunda fase da operação investigou empresários que encomendam produtos que abasteciam o comércio de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e no Distrito Federal. Pelo menos 104 envolvidos foram presos
Uma força tarefa integrada pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar de Goiás deflagrou, na manhã desta quinta-feira (10/08), a Operação Hicsos II, com o objetivo de interromper as ações criminosas de grupo de empresários e agentes políticos que davam suporte financeiro ao roubo de cargas em diversas cidades do Brasil. O esquema criminoso teria movimentado, até o momento, em torno de R$ 30 milhões. Ao todo, foram cumpridos 91 mandados judiciais, dentre eles 40 mandados de prisão em cidades dos estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina e no Distrito Federal.
As ações de investigação desenvolvidas na Operação Hicsos I permitiram aos investigadores identificar os financiadores do crime de receptação. As informações levaram até empresários do ramo do comércio e a agentes políticos. “As cargas eram de natureza e valores variados. Estes produtos abasteciam todos os tipos de comércio em Goiás e outros estados”, afirmou o superintendente da Polícia Federal no Estado de Goiás, Humberto Ramos.
No decorrer das investigações, os policiais já haviam prendido 30 pessoas, retirado de circulação 15 armas de fogo, apreendido 15 veículos roubados e recuperado cargas variadas que somaram mais de R$ 500 mil. Um dos integrantes do grupo está foragido. Os policiais acreditam que ele esteja na Inglaterra e vão solicitar apoio às autoridades daquele país e à Interpol para localizar o suspeito e efetuar a sua prisão.
De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, coronel Divino Alves, a organização tinha uma forma de atuação preestabelecida, com membros executando funções específicas.  “Com a segunda fase da operação, damos um forte golpe no roubo de cargas em Goiás, que é um crime que fomenta o tráfico de drogas, os homicídios e outros crimes”, afirmou. “Temos certeza absoluta de que teremos uma redução desses delitos e contamos, também, com a colaboração do Ministério Público e do Poder Judiciário para o julgamento rápido e manutenção dos criminosos na cadeia”, disse.
Os envolvidos responderão pelos crimes de roubo qualificado, cárcere privado, lavagem de dinheiro, organização criminosa, tráfico de drogas e receptação.
Compartilhar: