Goiás tem queda geral na criminalidade em setembro

Balestrei 2 Copia

No estado, todas as 12 naturezas de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução no acumulado do ano e no mês, revelam estatísticas divulgadas pela Gerência do Observatório de Segurança Pública. Homicídios despencam em Goiânia (-36,59%), Aparecida de Goiânia (-25%) e Entorno do Distrito Federal (-31,34%)

Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas divulgadas nesta terça-feira (03/10) pelo Gerência do Observatório de Segurança Pública. Os homicídios tiveram queda (-11,8%), os estupros (-14,69%), as tentativas de homicídios (-22,31%), e os latrocínios (-41,73%).

Os roubos de veículos cederam em (-26,86%), os roubos em comércios diminuíram (-33,1%), enquanto, roubos a transeuntes e em residências recuaram respectivamente em (-24,54%) e (-21,22%). Os furtos também estão menores quando se compara com 2016: furto de veículos (-15,82%), furto em comércio (-14,42%), furto em residência (-1,82%) e furto a transeunte (-22,87%).

Também no mês de setembro de 2017, na comparação com igual período do ano passado, as estatísticas Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária mostram que houve recuo nas 12 naturezas criminais consideradas de alta prioridade.

De acordo com o relatório, os homicídios recuaram no mês de setembro (-7,5%), os estupros regrediram (-6,78%), enquanto as tentativas de homicídios diminuíram (-28%) e os latrocínios (-7,69%). As modalidades de roubos registraram as quedas mais acentuadas: roubo a transeunte (-34,43%), roubo de veículos (-27,41%), roubo em comércio (-35,53%) e roubo em residência (-33,5%). Os furtos de veículos tiveram declínio de (-7,11%), furto em comércio de (-5,14%), furto em residência (-17,89%) e furto a transeunte (-23,51%).

Para o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais”.

0002

Homicídios em Goiânia apresentam recuo histórico

Em Goiânia, os homicídios e as tentativas de homicídios tiveram importantes quedas em setembro, na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas do Observatório de Segurança Pública.

Homicídios na capital tiveram recuo de (-36,59%). Este é o menor índice da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos. Além disso, o número se igual a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências.

As tentativas de homicídios também tiveram queda acentuada (-41,67%). Todas as categorias de roubos sofreram forte queda na capital. Em comércios despencaram (-51,22%), em residências (-44,97%), de veículos (-44,36%) e a transeuntes (-36,83%).

Nos furtos foram registradas as seguintes quedas: veículos (-6,02%), comércios (-21,15%), em residência (-3,53%), a transeuntes (-34,45%). Apenas os estupros cresceram 40% no mês.

No acumulado do ano, no período de janeiro a setembro de 2017, as doze modalidades estão em declínio na capital: homicídios (-11,08%), estupros (-32,2%), tentativas de homicídios (-30,44%), latrocínios (-17,24%), roubos a transeuntes (-25,95%), roubos de veículos (-35,26%), roubos em comércios (-42,06%), roubos em residências (-24,89%), furtos de veículos (-22,95%), furtos em comércios (-25,77%), furtos em residências (-1,01%) e furtos a transeuntes (-21,85%).

Em Aparecida de Goiânia, furtos em comércios declinam 40,98%

No mês de setembro, de 12 modalidades monitoradas pela SSPAP, nove retrocederam em Aparecida de Goiânia. Além dos homicídios (-25%), tiveram quedas tentativas de homicídios (-66,67%), roubos a transeuntes (-31,64%), roubos de veículos (-18,07%), roubos em residência (-2,27%), além de furtos em comércios (-40,98%) e furtos em residências (-37,05%). Os crimes de estupro, furto de veículos e furto a transeuntes, tiveram crescimento de 33,3%, 70,49% e 18,75%, nessa ordem.

No período de janeiro a setembro, 10 das doze naturezas de ocorrências reativas estão abaixo dos números do ano passado em Aparecida de Goiânia. Homicídios (-24,06%), estupros (-14,29%), tentativas de homicídios (-40,13%), latrocínios (-40%), roubos a transeuntes (-19,07%), roubos de veículos (-20,74%), roubos em comércios (-16,6%), furtos em comércios (-39,07%), furtos a transeuntes (-16,84%) e furtos em residências (-3,55%). Apenas roubos e furtos em residências apresentam oscilação positiva de 2,97% e 3,44%.

 

0001

 

Entorno do Distrito Federal mantém seguidas quedas nos índices de delitos

As seguidas quedas nas taxas de criminalidade na região do Entorno do Distrito Federal mostram que as ações ostensivas e integradas realizadas pelas forças policiais têm sido assertivas.

No mês passado, os homicídios recuaram em (-31,34%) na região. Já os estupros e as tentativas de homicídios diminuíram, respectivamente, em (-29,41%) e (-29,63%).

As ocorrências de roubos a transeuntes caíram (-31,83%), roubos de veículos (-29,26%), roubos em comércios (-15,04%), roubos em residências (-23,29%). Os furtos a transeuntes encolheram (-35,29%), os furtos em residências (-23,12%) e os furtos de veículos (-10,23%). Apenas os furtos em comércios tiveram alta de 12,79% em setembro.

As estatísticas acumuladas do ano mostram que a região do Entorno do Distrito Federal mantém redução nos doze índices prioritários para a segurança pública.  Em relação aos nove meses do ano passado, os homicídios caíram (-20,64%), os estupros (-10,16%) e as tentativas de homicídios (-30,99%).

Os roubos em veículos cederam, no período de janeiro a setembro, em (-23,44%), os roubos a transeuntes (-23,76%), roubos em comércios (-14,92%) e roubos em residências (-19,86%). Já os furtos de veículos registraram baixas de (-8,28%), furtos em comércios (-11,18%) e furtos em residências (-8,99%). Os furtos a transeuntes estão (-43,15%) abaixo do assinalado no período relativo a 2016.

Metodologia

Os dados consolidados são coletados e auditados pela Gerência do Observatório de Segurança Pública da SSPAP. A metodologia utilizada foi aperfeiçoada com a criação da Plataforma de Sistemas Integrados, um conjunto de software e ferramentas de Business Inteligence (BI), que tem como base o Registro de Atendimento Integrado (RAI).

A coleta e consolidação dos dados obedecem a rigorosos critérios de checagem que evitam duplicidade de registro ou com tipificação incorreta. Estas informações estão reunidas e à disposição dos interessados no sítio da SSPAP: www.ssp.go.gov.br/estatísticas, onde podem ser acessadas mais de 900 naturezas criminais filtrados por municípios ou Estado.

FOTOS: JOTA EURÍPEDES

Compartilhar: