ESPECIAL – Ações exitosas das polícias tiram 42 suspeitos de assaltos a bancos de circulação

Como uma das primeiras grandes ações integradas entre as forças policiais do estado, 200 policiais civis e militares realizaram no início de março uma operação denominada “Esfacela”, para o cumprimento de 44 mandados de busca e apreensão e de 41 mandados de prisão em diferentes cidades goianas, visando desarticular organização criminosa com ramificações dentro dos presídios. Coordenada pela Polícia Civil, a ação foi deflagrada após um ano de investigações que indicaram que o grupo se comunicava para planejar e executar crimes como roubos de veículos, assaltos a carros-fortes e a caixas eletrônicos, entre outros.

Os mandados foram cumpridos em Catalão, Cristalina, Itumbiara, Luziânia, Mineiros, Morrinhos, Quirinópolis, Rio Verde e São Simão, no momento em que o bando articulava novos assaltos. Entre os crimes evitados com a prisão da quadrilha estava o roubo de um caminhão-cegonha lotado de veículos em Rio Verde. Na ocasião, se detectou que um dos grandes empecilhos para impedir a liderança de presidiários em grupos criminosos era a dificuldade em se bloquear e coibir ligações e uso de celulares nos presídios, problema que a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária tem buscado resolver junto ao Ministério da Justiça.

Ainda no início de março, uma força-tarefa da Polícia Militar conseguiu interceptar em São Luís do Norte quatro suspeitos de integrar um bando organizado para roubos a bancos. Após tentativa de roubo a um posto de combustível às margens da BR-153, o grupo foi desarticulado por policiais do Comando de Operações de Divisas (COD), Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT). Em Montividiu do Norte, forças de segurança do estado de Goiás também impediram, em abril, nova tentativa de roubo. Os suspeitos estavam numa pick-up Fiat Strada roubada em Gurupi e tinham acabado de explodir um caixa eletrônico de uma agência do Bradesco, mas não conseguiram levar o dinheiro.

Em Jataí, a Polícia Civil prendeu, na Operação Bandoleiros, grupo que praticava roubos na região especializada em assaltos a bancos, residências, comércios e propriedades rurais. Segundo o titular do GAB/DEIC, delegado Alex Nicolau Vasconcellos, a associação criminosa atuava de forma articulada; enquanto parte monitorava os alvos durante determinado tempo, outra parte executava os crimes. Sete pessoas foram presas: Luiz Paulo Ribeiro Filho, Wallace Santos Barbosa, Hélio Fernando Ribeiro, Geni Anderson Lima, Carlos Henrique Batista, Luiz Roberto Ribeiro e Eduardo Soares Cavalcante. Todos com passagens pela polícia por tráfico de drogas, roubos e homicídios.

Entre os roubos atribuídos a esta quadrilha está o do caixa do Banco do Brasil localizado dentro da Prefeitura de Jataí, em que seis dos assaltantes renderam dois funcionários. Outro crime de repercussão foi o roubo de três caminhonetes de uma concessionária na mesma cidade. A quadrilha, segundo o delegado Alex Vasconcellos, é conhecida pela extrema violência, fazendo reféns e agredindo as vítimas. Eles são responsáveis por cerca de 90% dos crimes patrimoniais da região. “Eles disseram que preferem roubar armas, que são fáceis de carregar e têm venda rápida”, afirma o titular do GAB/DEIC.

No mês de maio deste ano, outro grupo criminoso teve ação frustrada na cidade de Gouvelândia graças à atuação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar. Atuaram no caso, entre outras forças, o GRAer e o GAB/DEIC. O grupo suspeito vinha sendo monitorado há meses por envolvimento em assaltos e arrombamentos a bancos no sul do estado. Um dos suspeitos era Saulo Magno Ribeiro Ramos, de 29 anos. O outro usava documentos falsos.

Em Uruaçu, no Norte do estado, uma ação conjunta da PM e PC, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, resultou na prisão de cinco suspeitos de integrarem quadrilha organizada para assaltos a bancos na região. Em São Domingos, no Nordeste do estado, mais uma organização criminosa foi desarticulada no final de maio, quando numa barreira policial os ocupantes de uma pick up Strada não respeitaram o bloqueio e tentaram fugir. Eles eram suspeitos de tentativa de explosão a uma agência do Banco do Brasil em Divinópolis de Goiás. O carro usado pelos três suspeitos era produto de roubo. Na troca de tiros com policiais, dois deles morreram.

Em Aparecida de Goiânia, outra ação integrada entre o GAB/DEIC, o Grupo de Radiopatrulha Aérea (GRAer) e o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) resultou na prisão de dois integrantes de outra quadrilha especializada em explosões de caixas eletrônicos. Foram presos os suspeitos Thiago Pereira dos Santos Alves, 21 anos, e Hemerson Júnior Costa, de 31. Com eles, os policiais encontraram explosivos, munições, placas de carros de outros estados e ferramentas utilizadas em arrombamento de agências bancárias. A quadrilha preparava novas ações. Dois outros suspeitos de integrarem a quadrilha só seriam presos dias depois: Alexandre de Sá Queiroz, de 22 anos, e Paulo André Marques dos Santos, de 20 anos, que tiveram suas prisões preventivas decretadas e foram localizados no setor Cidade Jardim, em Goiânia.

O grupo criminoso é suspeito de por pelo menos oito explosões de agências bancárias em Goiânia e região metropolitana. Alexandre de Sá é um dos líderes da organização e era quem fabricava os explosivos. O grupo persistia em agir nas mesmas agências. Em uma delas, no Setor Garavelo, em Aparecida de Goiânia, o grupo agiu quatro vezes; em outro no setor Morada do Sol, o bando agiu duas vezes; outra vez numa agência na Castelo Branco; e em outra numa agência da Avenida Perimetral Norte. Segundo declara, era a única quadrilha que atuava na capital.

Recentemente, a Polícia Civil conseguiu prender os integrantes de associação criminosa responsável por explosões em agências bancárias de Itapirapuã, Jussassa, Britânia, Montes Claros de Goiás, Aragarças e Bom Jardim de Goiás. Eles espalhavam o terror nas cidades do interior usando armamento pesado e desafiando as forças policiais. Cinco deles foram presos em Goianira e dois na cidade de Jussara. Chamou a atenção da polícia o alto padrão de vida de alguns deles. São eles: Iodeyve José da Silva, 23 anos; Francisco Ernani Alvino de Souza, 35; Gilson Noé da Silva, 32; José Arnaldo Rebouças Farias Filho, 31; Lucas Pereira Albuquerque Silva, 21; Carlos Henrique Souza Benevides, 30; e Cléber Moura Pereira, de 26 anos. Com eles, a polícia apreendeu sete veículos roubados.

Comunicação Setorial
Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP)
(62) 3201-1004, 3201-1055

Compartilhar: