Águas Lindas e Novo Gama recebem primeiras conferências do Pacto Social Goiás Pela Vida e Segurança

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), deu início nesta terça-feira (1º/11), ao ciclo de conferências municipais do programa Pacto Social Goiás Pela Vida e Segurança. Os encontros foram realizados em Águas Lindas de Goiás e Novo Gama. Um dos principais objetivos é envolver a população na construção de propostas da maior política de segurança social e preventiva da história goiana.

Lançado em setembro deste ano, o Goiás Pela Vida consiste na união de esforços entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além da sociedade civil, para coibir a criminalidade. Para isso, estão sendo trabalhados cinco grandes eixos de atuação: Prevenção Social; Segurança Cidadã, Intervenção Urbana e Ambiental; Inteligência e Estratégia; e Repressão Qualificada.

Em Águas Lindas, o superintendente executivo da SSPAP, coronel Edson Costa Araújo – que representou o vice-governador e titular da pasta, José Eliton -, ressaltou que o Governo do Estado não mede esforços para combater a criminalidade. “O setor de segurança pública conta com a liderança forte e encorajadora do governador Marconi Perillo e, agora, tem o comando firme, equilibrado e competente do nosso vice-governador”, afirmou.

O encontro contou com a presença de diversas autoridades. Entre elas, o prefeito Hildo do Candango; o vice-prefeito Luiz Alberto Jiribita; o deputado federal Thiago Peixoto; o superintendente de Gestão do Goiás Pela Vida, Rogério Félix, o delegado Regional da Polícia Civil, Fernando Gama; o comandante do 17º Comando Regional da Polícia Militar, coronel José Luiz Biano; e a promotora de Justiça Mariana Coelho Brito, além de vereadores e representantes do Corpo de Bombeiros, de conselhos comunitários e da sociedade civil.

Em Novo Gama, o superintendente executivo da SSPAP explicou que a gestão do Goiás Pela Vida foi idealizada tendo como elo principal a estrutura de governança. Lembrou que o Comitê Executivo do programa – que conta com a presença de representantes do governo e da sociedade – será responsável por acompanhar as ações pactuadas e os resultados alcançados. “Dessa forma, conseguiremos reduzir cada vez mais a criminalidade”, disse. Segundo ele, nesta fase de conferências, a iniciativa vai envolver a comunidade. “Vamos trazer a população para as discussões e, juntos, encontrar as soluções necessárias”, disse.

O coronel Edson Costa também lembrou que o Governo de Goiás tem investido diariamente em inteligência e aparelhamento das forças policiais do Estado. “São os maiores investimentos da história. Isso permite que nossas polícias tenham condições de prestar serviços cada vez melhores no combate ao crime”, ressaltou. “Os resultados já são visíveis, uma vez que os índices de criminalidade estão sendo reduzidos”, concluiu. Para o superintendente executivo, o Goiás Pela Vida comprova, mais uma vez, que o Estado é sinônimo de coragem e ousadia em políticas de segurança pública.

Participaram da conferência o atual prefeito, Everaldo Vida; os juízes Polliana Passos e Cristian Battaglia; a prefeita eleita, Sônia Chaves; além de delegados, vereadores e representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e conselhos comunitários.

Conferências
No total, serão 23 encontros que representam fase de implantação do programa. Após essa etapa, haverá um fórum com abrangência estadual, onde será apresentado um plano estratégico – cujas ações serão resultado das discussões nos municípios. A finalidade deste evento é estabelecer os parâmetros e as metas produzidas nas conferências municipais. Esse planejamento estratégico será uma ferramenta prática para fortalecer a capacidade de governança e o monitoramento dos resultados de enfrentamento e na prevenção de violências.

O programa

O Pacto Social Goiás pela Vida une diferentes órgãos públicos das esferas federal, estadual e municipal. A iniciativa é focada principalmente nos 21 municípios que respondem por 89% dos crimes contra a vida e contra o patrimônio cometidos em 2015. O conjunto de ações são de curto, médio e longo prazos, que vão fortalecer a redução dos fatores propiciadores de crimes, catalisando a transformação da cultura de violência em conciliação e pacificação.

A metodologia baseia-se em benchmark de cases de sucesso em outros estados e países, adequada a nossa realidade e necessidade. Busca, portanto, orientar órgãos públicos e privados autônomos para a solução de problemas de segurança primária que demandem ações interdependentes.

FOTOS: ANDRÉ SADDI

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária
62 3201-1004 / 1055

Compartilhar: